terça-feira, setembro 12, 2006

Há Festa na Aldeia #2

Aqui vai uma viagem pictórica pelo que foi a festa de Stº António da Abrunheira há precisamente um ano. Não vou acrescentar mais nada sem ser os comentários simples a cada uma das fotografias que falam por si.
À chegada fomos brindados com a arte e mestria musical do agrupamento de baile Os Bacanos.
Uma banda que só transparece alegria e entusiasmo, como é de se ver pela euforia do organista.
Gentes dançavam e rodopiavam em volteios inebriantes...
Não se deixem enganar pelo ar enternecido destes senhores, são criaturas ferozes e selvagens. Terão a oportunidade de verificar o que digo mais adiante...
Não houve vivalma que faltasse ao evento.
Para se certificar que não se cometeriam excessos estava lá o Sr. Provedor da Comissão Organizadora.
Lembram-se de um dos alegres dançarinos? Pois bem, aqui um queria bater-me com certeza a julgar pelas chispas que saltavam dos seus olhos na minha direcção. "Odeio-te vou matar-te!"

É em frente das câmaras que os artistas gostam de estar e é precisamente aí que devem aparecer. Assim que os flashes começaram a espalhar-se pelo recinto logo as vedetas começaram a aparecer.

O pequeno estava especialmente endiabrado. Brindou-nos com uma sequência de momices verdadeiramente inspiradas.
Lembro que nada disto foi encenado, partiu apenas da espontaneidade deste senhor frente à câmara.
O artista merece o seu descanso.
E porque a festa não pára logo surge diante da objectiva uma nova personagem. Um dos dançarinos.
Tivemos direito a uma cantilena repetitiva, num dialecto qualquer indecifrável. Olhos bem na objectiva.
Aqui o espanto e subsequente ira do artista quando percebeu que não iria ser pago. Já não é o mesmo dançarino embevecido que viram antes...
Nada disto teria sido possível de tolerar sem uma boa dose de lubrificantes sociais...

1 comentário:

FuckItAll disse...

Não te conhecia a costela etnográfica...